Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > PROJETO DE PRODUÇÃO DE LEITE OVINO E DERIVADOS NO CAMPUS ALEGRETE
Início do conteúdo da página
Notícias Alegrete

PROJETO DE PRODUÇÃO DE LEITE OVINO E DERIVADOS NO CAMPUS ALEGRETE

Publicado em Quarta, 13 de Dezembro de 2017, 11h55 | por Gabinete Alegrete | Voltar à página anterior

      Durante viagem a Portugal, para assinatura do Convênio entre o Instituto Federal Farroupilha e o Instituto Politécnico de Bragança, no ano de 2012, o Professor Otacílio Silva da Motta teve a oportunidade de conhecer o sistema de produção dos queijos de Serra da Estrela feitos com leite de ovelha e com denominação de origem controlada, reconhecidos mundialmente pela preservação cultural e sabor característico.Voltou com a possibilidade e vontade em desenvolver sistema de produção semelhante em Alegrete, viabilizando a nova alternativa para os produtores na região, através do Campus Alegrete do Instituto Federal Farroupilha. Convicto de sua pretensão repassou e encontrou no seu colega Professor Emmanuel V. de Camargo, o companheiro ideal para levar adiante a missão e o início da implantação do sonhado projeto.
    Foi assim que em 2014, ao participar da Câmara Setorial Ovina, o Professor Emmanuel aproximou os interesses Institucionais àqueles do governo estadual. No dia 21 de agosto de 2014, juntamente com a Secretaria da Agricultura, Pecuária e Agronegócio (SEAPA) do estado do Rio Grande do Sul, no ato representada pelo seu secretário da agricultura, Professor Cláudio Fioreze, a Associação Brasileira de Criadores de Ovinos (A.R.C.O.), representada pelo seu presidente Sr. Paulo Afonso Schwab, juntamente aos Professores Otacílio e Emmanuel, decidem, por meio de seus representantes, firmar protocolo objetivando assegurar o fomento à pecuária ovina leiteira do Estado do Rio Grande do Sul, garantindo o melhoramento genético e o aumento da produtividade do rebanho ovino leiteiro com a geração de emprego e renda, através da melhoria socioeconômica da cadeia produtiva.
     Nesse mesmo ano, os dois Professores conseguiram incluir no Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI), a meta de desenvolver a ovinocultura leiteira no campus Alegrete. Já no ano de 2015, os idealistas professores, mediante disciplina eletiva para o curso de Bacharelado em Zootecnia, ofertaram formação específica em Ovinocultura Leiteira como disciplina eletiva, tendo a primeira turma de zootecnistas inscritos com 15 (quinze) alunos. Essa medida foi necessária para capacitar os estudantes para as demais etapas do projeto – destaca Professor Otacílio.

   Nesse sentido, buscando a complementação profissional, já no ano de 2016, na segunda oferta do componente curricular eletivo, após os estudantes, estagiários e demais colaboradores construirem a plataforma de ordenha na LEPEP de Ovinocultura, procedeu-se visita técnica junto a Casa da Ovelha em Bento Gonçalves/RS e ao campus dessa mesma cidade, pertencente ao Instituto Federal Riograndense (IFRS). Dessa incursão, os proponentes trouxeram na bagagem ordenhadeira para ovinos, fruto das tratativas realizadas pelos Professores Emmanuel e Otacílio junto ao IFRS campus Bento Gonçalves. Por tudo, nesse mês de novembro de 2017, após a soma de esforços do Grupo de Pesquisa e Extensão em Ruminantes (GPER), firmou-se mais um marco histórico na nossa Instituição: o início da ordenha das primeiras ovelhas da LEPEP de Ovinocultura da raça Texel e Crioula. Oportunamente, com a coleta desse riquíssimo alimento, o leite ovino, iniciou-se a produção de queijos na LEPEP de Agroindústria do nosso campus.

    Os Professores Emmanuel e Otacílio ainda prometem muitas novidades para os próximos anos, através de ações de pesquisa, ensino e extensão para cumprir nossa missão.

registrado em:
Fim do conteúdo da página