Ir direto para menu de acessibilidade.

Tradução Portal

ptendeites

Opções de acessibilidade

Página inicial > licenciatura
Início do conteúdo da página

IFFar

O IF Farroupilha irá realizar, nos dias 6 e 7 de junho, o IV Seminário de Licenciatura, III Congresso Institucional do Pibid, III Seminário Institucional de Diversidade e Inclusão, III Encontro de Professores do PROEJA e III Encontro de Gestores de Educação a Distância.

Leia mais...

  • 22/05/17
  • 12h59

Dois projetos destinados à ampliação da prática pedagógica de alunos do curso de Licenciatura em Ciências Biológicas do Instituto Federal Farroupilha – Campus Panambi são aplicados em três escolas municipais.

Os projetos “Formação docente e o Ensino de Ciências da Natureza: elaboração de material didático para os anos iniciais”, coordenado pela professora Fabiane Beck Pires, e o projeto “Guia paradidático para inicialização da educação ambiental nas séries iniciais”, coordenado pela professora Caroline Leuchtenberger, visam desenvolver a percepção e os cuidados com o meio ambiente por meio da condução de atividades a partir de materiais didáticos e paradidáticos. Os materiais paradidáticos utilizam-se de aspectos mais lúdicos que os materiais didáticos, proporcionando um aprendizado eficiente, do ponto de vista pedagógico, mas de forma mais lúdica.

Dentre as estratégias já utilizadas em sala de aula destacam-se a criação de oficinas didáticas por temas, as quais englobam jogos de pescaria, jogo da memória, jogo do stop e jogos de trilhas sobre tabuleiro, cujas “peças” são os próprios alunos. Todos abordam os cinco principais aspectos elencados como problemas ambientais no município, a partir de entrevistas realizadas com habitantes locais: lixo, poluição, agrotóxicos, desmatamento e caça. Os jogos são elaborados a partir de materiais com baixo custo, como caixas de papelão, tecido em TNT e tinta guache, o que permite que os jogos sejam replicados pelos professores da escola para outros conteúdos e disciplinas. Ao final de cada atividade de educação ambiental em sala de aula, a atividade de reforço da aprendizagem ocorre através da ilustração do que mais chamou a atenção durante a prática executada. Os desenhos constituirão parte do livro digital (e-book) sobre os projetos, que será lançado posteriormente.
Os projetos de ensino estão em desenvolvimento desde o 2º semestre de 2016 e já atenderam mais de 250 crianças, entre o 1º e 5º ano do ensino fundamental, das escolas municipais Princesa Isabel, Dona Leopoldina e Hermann Faulhaber. De acordo com Keiti Neumann, aluna do 3ª semestre de Ciências Biológicas e bolsista de um dos projetos, “Ensinar as crianças sobre educação ambiental e os cuidados necessários com meio ambiente auxilia na formação de uma geração que crescerá com a consciência ambiental de cuidar do que é nosso”.

A receptividade de docentes nas escolas onde os projetos estão sendo desenvolvidos tem repercutido positivamente nas instituições por serem temas pouco trabalhados em sala de auls. Além disso, algumas práticas como o descarte correto do lixo e o cuidado com o entorno das escolas já é perceptível entre os participantes das aulas de educação ambiental.

Os projetos contam com a participação de Larissa Xavier e Keiti Angélica Neumann como bolsistas, e Giovana Sarturi, Vinicius Teribele, Gabrielle Roque e Eduardo Richter, como voluntários. Todos são acadêmicos do curso de Licenciatura em Ciências Biológicas do IFFar – Campus Panambi.

Publicado em Notícias Panambi

Leia mais...

  • 17/03/17
  • 14h28

No dia 9 de novembro, o IF Farroupilha realizou o II Seminário Institucional Pibid IF Farroupilha: compartilhando experiências e aprendizados, no Campus Santa Rosa.

O encontro iniciou pela manhã, com a conferência “Os impactos do Pibid e os novos desafios à formação docente”, com Cristiane Antonia Hauschild, professora do Centro Universitário UNIVATES, coordenadora institucional do Pibid e representante do Forpibid Regional Sul.

A tarde foi dividida em dois momentos. Primeiro, foi realizada a mesa redonda “Pibid IF Farroupilha: compartilhando experiências e aprendizados”. O debate ficou por conta das coordenadoras de área Fabiana Lasta Beck Pires e Anna Maria Deobald, do subprojeto Química do Campus Panambi; da supervisora Rosangela Peixoto Ceretta; e da bolsista de iniciação à docência Karina Schiavo Seide, as duas últimas do subprojeto Matemática do Campus Santa Rosa.

Em um segundo momento da tarde, foram realizados círculos de debates, quando foram compartilhadas boas práticas desenvolvidas no Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (Pibid), no Laboratório Interdisciplinar de Formação de Educadores (LIFE), no Programa de Educação Tutorial (PET) e no Programa de Consolidação das Licenciaturas (Prodocência).

O momento cultural da manhã ficou por conta dos alunos surdos do Campus Santa Rosa, que apresentaram a preformance "Não Toca", e da banda dos alunos dos cursos integrados em Móveis e Edificações. A banda das alunas do curso superior em Arquitetura e Urbanismo abriu os trabalhos da tarde.

Inscreveram-se no seminário 148 pessoas, totalizando 52 trabalhos. O evento oportunizou momentos de diálogo, socialização e compartilhamento de experiências e aprendizados vivenciados a partir da articulação de ações entre o IF Farroupilha e as escolas de educação básica voltadas à formação de professores.

 

Publicado em Notícias Santa Rosa

Leia mais...

  • 18/11/16
  • 13h39

O mês de maio passou, mas deixou duas datas importantes para o Instituto Federal Farroupilha – Campus São Borja. No dia 06 de maio, comemorou-se o dia Nacional da Matemática e no dia 19, o Dia Nacional da Física, duas áreas em que o Campus oferece formação através de cursos de licenciatura. Para celebrar essas datas marcantes de nossa comunidade acadêmica, preparamos para você uma matéria especial sobre estes dois cursos. Confira!

 

 Foto: Acadêmicos do PIBID da Licenciatura em Física e da Licenciatura em Matemática

 

Passados seis anos de atividades do Instituto Federal Farroupilha em São Borja, o ano de 2016, proporcionou a comunidade são-borjense e região, o recebimento no mercado de trabalho da primeira turma de egressos dos cursos de Licenciatura em Matemática e Licenciatura em Física. Concluíram o curso 02 alunos da Física e 08 da Matemática.

Os egressos estão aptos para atuar no ensino médio e nas séries finais do ensino fundamental, nas diferentes modalidades de ensino, de forma crítica e consolidada através da base específica e pedagógica oferecida a eles no decorrer do curso, cumprindo com o principal objetivo da criação dos cursos de Licenciatura. Além disso, também poderão seguir estudos posteriores, em cursos de pós-graduação.

Além da satisfação em proporcionar a área da Educação novos profissionais aptos para a docência, duas notícias positivas coroam o trabalho desenvolvido por professores, técnicos e alunos ao longo dos quatros anos de graduação, isto é, a aprovação de estudantes em programas de Mestrado em instituições importantes no cenário acadêmico e também em concursos públicos. A concluinte Lutieli Machado Godois, egressa da Matemática, foi aprovada na seleção de Mestrado para o Programa de Pós-Graduação em Modelagem Computacional vinculado à Universidade Federal do Rio Grande – FURG. A Licenciatura em Física também tem seus motivos para comemorar, pois a egressa Bianca Peixoto Gottfried, logo após o término do curso, foi aprovada em primeiro lugar no processo de seleção para contratação de professor substituto e, hoje, atua como docente substituta no Campus São Borja.

 

Conhecendo os cursos

Os cursos são realizados de forma presencial, no período noturno e tem duração de 8 semestres (4 anos). A oferta se dá anualmente com ingresso através do Sistema de Seleção Unificada (SISU), utilizando a nota obtida no Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM). Para a Licenciatura em Matemática são ofertadas 30 vagas e para a Licenciatura em Física são ofertadas 35 vagas. O estudante terá o tempo máximo de 14 semestres (7 anos), para realizar a integralização curricular.

No decorrer do curso, os acadêmicos desenvolvem projetos interdisciplinares capazes de integrar áreas de conhecimento, de apresentar resultados práticos e objetivos e que tenham sido propostos pelo coletivo envolvido no projeto; grupos de estudos que permitem o trabalho coletivo e colaborativo entre os acadêmicos com enfoque no trabalho docente efetivo; discussão e análise de programas escolares relacionados às disciplinas de Matemática e Física à luz de teorias educacionais de aprendizagem entre outras atividades. Para ambas licenciaturas é necessário a realização de estágios curriculares com carga horária de 400 horas, desenvolvidas tanto no Campus como em Escolas da rede Estadual de Ensino e atividades complementares de curso (ACC) totalizando 200 horas.

Entre as atividades promovidas aos alunos, estão as semanas acadêmicas com participação de convidados e palestrantes de instituições de ensino superior renomadas no cenário nacional como UFRGS, UFPEL, UFSM entre outras, momento em que professores, alunos, convidados e palestrantes internos e externos discutem os assuntos da área. Também são promovidos ciclos de relatos de estágios dos alunos do sétimo semestre, os quais, compartilham com professores e alunos dos semestres anteriores suas experiências nas primeiras atividades docente.

Outra atividade importante que merece destaque é a “Mostra das Licenciaturas”, onde os cursos de Licenciatura em Física e Licenciatura em Matemática voltam suas atividades para apresentação dos relatórios de estágios, relatos de experiência sobre práticas de ensino em Física e Matemática, relatos de experiência sobre práticas pedagógicas integradas e apresentações de trabalhos de conclusão de curso. Além disso, são ofertados aos estudantes projetos de ensino, pesquisa e extensão. Confira abaixo alguns projetos desenvolvidos pelos cursos.

Projeto de Extensão "Integrando conhecimentos a partir da matemática no respaldo aos processos de leitura, escrita e alfabetização": o projeto voltado aos alunos das séries iniciais do ensino fundamental tem como finalidade situar o papel da Matemática no contexto de apropriação dos processos de leitura e escrita, auxiliando na alfabetização. Em 2015, em sua segunda edição, foi desenvolvido na Escola Estadual de Ensino Fundamental João Goulart.

Projeto de Ensino “Nos Limites da Física”: o projeto está no seu segundo ano e apresenta documentários com tópicos relacionados a Física, os quais não são vistos nas ementas oficiais da disciplina de Física ou no Curso de Graduação em Física, oficialmente. Com ele, o aluno irá ter a oportunidade de perceber que a Física está presente até em locais onde se quer imaginou, pondendo discutir como a Física é importante para a evolução da sociedade e da tecnologia.

Projeto de Ensino "Livro Didático": o projeto "O livro didático em foco: a construção de critérios didático-pedagógicos na análise e utilização do livro didático", tem por objetivo analisar, por meio da técnica de grupo de estudo, a base teórica que orienta a análise do livro didático para sua utilização na prática pedagógica, a fim de criar alguns critérios didático-pedagógicos que devem ser levados em conta na seleção, apresentação, desenvolvimento e síntese dos conteúdos apresentados no livro didático na área de Física. A intenção é produzir um arcabouço teórico que auxilie os alunos – futuros professores – na organização do trabalho pedagógico do professor.

 

RECONHECIMENTO DOS CURSOS

Em 2015, os cursos de Licenciatura em Física e Licenciatura em Matemática passaram por avaliações de reconhecimentos de curso da comissão de avaliadores do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP), autarquia federal vinculada ao Ministério da Educação, a qual, em avaliações distintas, atribuiu nota 4 aos dois cursos, em uma escala de pontuação que vai de 1 a 5. Com esta nota, o MEC qualifica os cursos avaliados como "Muito Bom".

A comissão analisou características relativas aos cursos, a partir da verificação documental e presencial de regulamentos, diretrizes, normas, currículo, matriz curricular, projetos de pesquisa, ensino e extensão, comissão de avaliação, implementação de tecnologias de informação e comunicação, acessibilidade, diversidade e demais aspectos ligados à Instituição. Essa avaliação foi constituída de três dimensões. A primeira, analisou a parte pedagógica, verificando os elementos do Projeto Pedagógico Curricular. A segunda; verificou a parte docente, com ênfase na formação dos profissionais atuantes no Curso, bem como projetos de pesquisa, ensino e extensão realizados. Por último, foi verificado a infraestrutura do Campus São Borja com destaque na parte de laboratórios, salas de aula, biblioteca, setores entre outros.

 

INFRAESTRUTURA

Os cursos de Licenciatura contam com laboratórios específicos para cada curso mas que são utilizados nas atividades pedagógicas das duas licenciaturas, como o Laboratório de Matemática que funciona junto ao Laboratório Interdisciplinar de Formação de Educadores - LIFE e o Laboratório de Física, ambos com grande quantidade de recursos materiais à disposição dos docentes e acadêmicos para aulas e atividades curriculares. Os cursos têm em seu corpo docente, professores com formação acadêmica a nível de mestrado e doutorado.

 

PIBID

O Programa Institucional de Bolsas de Iniciação a Docência – PIBID, iniciou suas atividades junto ao Campus de São Borja nos Cursos de Licenciatura em Física e de Licenciatura em Matemática no ano de 2012. O PIBID é regulamentado pela portaria 96/2013 da Capes e tem como objetivos incentivar a formação de docentes em nível superior para a educação básica; contribuir para a valorização do magistério; levar a qualidade da formação inicial de professores nos cursos de licenciatura, promovendo a integração entre educação superior e educação básica; inserir os licenciandos no cotidiano de escolas da rede pública de educação, proporcionando-lhes oportunidades de criação e participação em experiências metodológicas, tecnológicas e práticas docentes de caráter inovador e interdisciplinar.

Para dar conta dos objetivos propostos, o PIBID tem como perspectiva o trabalho desenvolvido de forma coletiva entre acadêmicos dos cursos, pelo menos um professor representante da instituição de Ensino Superior responsável que atua como coordenador do projeto e professores da Educação Básica que atuam como supervisores nas escolas estaduais. A proposta de trabalho do PIBID é que os acadêmicos sejam inseridos no contexto das escolas com a supervisão dos docentes da Educação Básica. Todos os envolvidos, acadêmicos, coordenador e supervisor são vinculados a CAPES e recebem bolsas para desenvolvimento das atividades relacionadas aos projetos.

 

POLÍTICAS DE APOIO AO DISCENTE

O Instituto Federal Farroupilha oferta uma série de políticas voltadas ao apoio aos discentes, as quais veremos mais detalhadamente a seguir:

Assistência Estudantil – politica de ações, que têm como objetivos garantir o acesso, o êxito, a permanência e a participação de seus alunos no espaço escolar. Para cumprir com seus objetivos, o setor de Assistência Estudantil possui alguns programas como Programa de Segurança Alimentar e Nutricional; Programa de Promoção do Esporte, Cultura e Lazer; Programa de Atenção à Saúde; Programa de Apoio à Permanência; Programa de Apoio Didático Pedagógico, entre outros. Por meio dos programas de auxílio financeiro aos estudantes em situação de vulnerabilidade socioeconomica são disponibilizados Auxílio Transporte, Auxílio Permanência e Alimentação. Também o Setor disponibiliza semestralmente um edital de Auxílio para Participação de Estudantes em eventos científicos, tecnológicos, artísticos, culturais, desportivos e eventos de organização e representação estudantil.

Atendimento Pedagógico, Psicológico, Social e de Saúde – o IF Farroupilha Campus São Borja possui uma equipe de profissionais voltada ao atendimento pedagógico, psicológico e social dos estudantes, bem como de acompanhamento de saúde. Assim a instituição conta com profissionais Psicólogo, Pedagogo, Educador Especial, Assistente Social, Técnico em Assuntos Educacionais, Assistente de Alunos, Médico, Enfermeira, Técnica em Enfermagem, Nutricionista e Dentista.

Mobilidade Acadêmica – o IF Farroupilha mantém programas de mobilidade acadêmica entre instituições de ensino do país e instituições de ensino estrangeiras, através de convênios interinstitucionais ou através da adesão a Programas governamentais, visando incentivar e dar condições para que os estudantes enriqueçam seu processo formativo a partir do intercâmbio com outras instituições e culturas. Em 2013, dezesseis alunos do Instituto Federal Farroupilha foram selecionados para a realização de intercâmbio acadêmico em Portugal, estudando durante 3 meses em diferentes institutos politécnicos do País, de acordo com seu curso de formação.

Educação Inclusiva – o Instituto Federal Farroupilha prioriza ações inclusivas voltadas às especificidades dos seguintes grupos sociais, com vistas à garantia de igualdade de condições e oportunidades educacionais a pessoas com necessidades educacionais específicas, como pessoas com deficiência visual, auditiva, intelectual, físico motora, múltiplas deficiências, altas habilidades/superdotação e transtornos globais do desenvolvimento, promovendo sua emancipação e inclusão nos sistemas de ensino e nos demais espaços sociais; questões de gênero e diversidade sexual, através do reconhecimento, o respeito, o acolhimento, o diálogo e o convívio com a diversidade de orientações sexuais que fazem parte da construção do conhecimento e das relações sociais de responsabilidade da escola como espaço formativo de identidades.

Núcleo de Atendimento e Apoio a Pessoas com Necessidades Específicas (NAPNE) – o Núcleo de Atendimento a Pessoas com Necessidade Educacionais Especiais é setor deliberativo, vinculado à Coordenação de Ações Inclusivas e tem por finalidade desenvolver políticas, ações e projetos no intuito de garantir a inclusão no IF Farroupilha.

Núcleo e Estudos Afro-Brasileiros e Indígena (NEABI): O NEABI –Núcleo de Estudos Afro-brasileiros e Indígenas tem a finalidade de implementar as Leis nº 10.639/03 e nº 11.645/08, pautadas na construção da cidadania por meio da valorização étnico-racial, principalmente de negros, afrodescendentes e indígenas.

Núcleo de Gênero e Diversidade Sexual (Nugedis): o núcelo tem como finalidade desenvolver políticas, ações e projetos no intuito de promover o respeito e a valorização de todos os sujeitos, proporcionar espaço para debates, vivências e reflexões referentes às questões de gênero e diversidade sexual.

 

INFORMAÇÕES

Para saber mais sobre os cursos de Licenciatura em Física e Licenciatura em Matemática, entre em contato com os coordenadores de curso.

Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Física. Clique aqui!

Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Matemática. Clique aqui!

Coordenadaro da Licenciatura em Matemática: Professor Odair Menuzzi, e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Coordenador da Licenciatura em Física: Professor Alexander Lunkes dos Santos, e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. .

Blog do Curso: http://fisicasb.blogspot.com.br

 

GALERIA

Laboratório de Física

Laboratório Interdisciplinar de Formação de Educadores e Laboratório de Matemática

Licenciatura em Física e Licenciatura em Matemática

Publicado em Notícias São Borja

Leia mais...

  • 31/05/16
  • 16h08

Nesta segunda-feira (25), foi realizada a aula inaugural do Curso de Licenciatura em Ciências Biológicas do IF Farroupilha- Campus Santa Rosa. O evento foi realizado no auditório do campus, onde as turmas de 2015 e 2016 fizeram um coffee break e participaram da palestra com o doutor em Genética e Biologia Molecular pela UFRGS, professor Adriano Andrejew Ferreira. A cerimônia foi presidida pela professora Tatiana Lowe, Coordenadora de Pesquisa do Campus e, na ocasião, representando a Coordenadora do Curso de Licenciatura em Ciências Biológicas, Professora Kerlen Enger. Os professores Michele Brodt, Luciane Oleques, Antônio Mirage e Flávia Burdzinski de Souza também estiveram presentes.

O tema abordado pelo palestrante foi "Uma nova forma de interpretar a evolução biológica". O Dr. Adriano foi professor do Campus Santa Rosa e um dos colaboradores para a implantação do curso de Licenciatura em Ciências Biológicas. "É um prazer retornar ao campus, rever alunos que fizeram os cursos técnicos e agora têm a oportunidade de cursar uma graduação aqui mesmo", disse ele.Turmas e professores posam com palestrante

 

Publicado em Notícias Santa Rosa

Leia mais...

  • 26/04/16
  • 15h13
Fim do conteúdo da página